Entrevista em Português da revista Pilot

Entrevista traduzida dos scans da revista Pilot

 

ROBERT PATTINSON NO SEU PAPEL, SOFRIMENTO E O LADO HUMANO DE EDWARD CULLEN

 

Robert Pattinson, lindo, 23 anos de idade, actor britânico, provavelmente não precisa de uma introdução especial.

Apenas uma pequena será feita: Ele é o vampiro de Crepúsculo que conquistou muitos corações. Ele também é o homem que sabe o que está a dizer. É um prazer conversar com ele e pode-se ver que ele não é um ‘cabeça de vento’, o que nós, ocasionalmente, podemos dizer de outras celebridades.

Em Lua Nova, ele mais uma vez nos deu uma excelente atcuação do misterioso Edward Cullen. Foi mais fácil desta vez, diz ele.

 

Gostas de entrevistas?
Eu não me importo com elas. Mas é verdade: jornalistas estrangeiros são melhores que americanos. Eles seguem perguntas e respostas, enquanto americanos tendem a fazer você falar o que os editores deles querem ouvir.  Seria melhor ter uma lista de coisas que eles querem que eu diga e eu poderia apenas dizê-las. Então, eles poderiam estar sempre contentes.

 

Qual foi a pergunta mais freqüente nos últimos dias?
Eles ficaram me perguntando se nós estivemos fazendo pegadinhas durante o filme. Eles querem saber a respeito disso todo filme.

 

O que eles têm em comum

 

Uma vez disseste que tu e Edward, compartilham a mesma teimosia.

Eu sou teimoso como um touro em mais de uma forma. Algumas vezes parece que eu importuno as pessoas a fazerem isso ou aquilo. Mas isso não é algo para se dizer, eu fui assim sempre. Eu não diria que eu pego no pé das pessoas, eu sou assim com todos. Mas eu não gosto disso. Eu sou tão indeciso.

 

Edward é um misterioso, místico. Consegues pensar em ti assim?

Eu tento. Há pessoas na vida real que conseguimos descrever como misterioso, mas eu não me descreveria assim. Eu estou dizendo a você isso para mostrar que é realmente duro representar um cara misterioso. De onde que eu tiro isso? Talvez do sentimento, de você não saber exatamente quem realmente é. Eu penso que isso é o mais próximo de ser misterioso.

 

Em Lua Nova, Edward sofre muito. Como te preparaste para tanto sofrimento?

Depois que eu li a seqüência de Crepúsculo, eu instantaneamente me vi na estória – Eu vi um humano Edward. Depois da primeira leitura, eu sabia como representá-lo. No primeiro filme nós conhecemos o personagem Edward, no segundo, nós explicamos mais sobre ele. De uma forma, eu não fiquei incomodado em pensar muito sobre isso. Eu passei tanto tempo me preparando para o papel no primeiro filme.

 

Isso veio por si próprio?

Sim, eu sabia exatamente o que eu estava fazendo.

 

Achas que Edward é um esquisitão?

Eu não diria isso. Bom, se no mundo real você age como ele, as pessoas poderiam pensar em você como um maluco, mas ele não é maluco em sua cabeça, especialmente não neste filme. Nós podemos facilmente nos encontrar na história dele.

 

És grande fã de música. Ouves uma música específica antes de incorporar Edward?

Não. Eu fiz no primeiro filme. Eu escutei o compositor Georgy Ligeti e isso ajudou. De certa forma, foi por causa do diretor Chris Weitz, ele criou um ambiente no qual nós fomos liberados e livres para expressar e experimentar. Mesmo que se eu atuasse numa cena completamente diferente, ele não reclamava. Ele foi aceitando tudo e eu não senti como se precisasse de outra coisa. O lado bom da música é que coloca você dentro do momento mesmo antes da gravação, mas isso é quando alguém espera tudo do ator na primeira tomada. Chris não era assim. Ele deixou as cenas envolverem naturalmente. Não foi assim na primeira vez.

 

Crepúsculo está se a tornar maior e maior. Numa recente conferência  disseste que ninguém poderia imaginar o quão grande Crepúsculo seria. Ainda estás surpreso? Parece que lidas bem com isso.
Haha, é uma boa máscara. Na verdade, eu ainda estou surpreso. Quase 5 meses após o primeiro filme a popularidade subiu e foi incomum, desde que não havia uma real razão. Agora Crepúsculo está maior ainda. Eu leio entrevistas onde celebridades estão sendo perguntadas sobre isso e elas estão paralisadas e surpresas. Mesmo os jornalistas não sabem porque eles perguntam esses tipos de coisas. Provavelmente eles saibam que cada menção a respeito de Crepúsculo aumenta o número de acessos na internet. Não é estranho?

 

Há dias em que te arrependes de ter aceitado o papel?
Não. De certa forma, é bom. Há lados bons e ruins. Eu penso que não houve um momento que eu disse a mim mesmo que eu estava arrependido. Não é saudável, não tem sentido pensar. De outra forma, eu não digo a mim mesmo que eu estou feliz por causa disso, que eu vivo no paraíso. Você pensa sobre antes, sendo um ator desempregado, indo a audições e ficando irritado por estar sendo recusado na desculpa de não ser famoso o bastante, não ser lucrativo o bastante. Então, você é um pouco famoso e consegue um emprego e eles aguardam a audiência para ir ver o filme e eles esperam um certo desempenho vindo de você. Eles almejam que você seja um ator, uma estrela de filme, um ‘fazedor de dinheiro’. Tudo se torna louco. Você não pode fazer pequenas coisas, porque tem 25 seguranças em volta de você o tempo todo.

 

E a respeito da maquiagem? Gostas de ter uma máscara?

Eu fiz o filme Remember Me, foi entre Lua Nova e Eclipse, e eu era um cara normal com necessidades normais. Foi quando eu disse pra mim ‘Eu não vou usar maquiagem. Eu não quero.” Eles realmente não colocaram maquiagem em mim e foi um alívio. Confie em mim, é um sentimento terrível quando você toca o seu rosto e você não sente coisa alguma por causa da maquiagem.  Mesmo sendo apenas um creme, a sensação é diferente. Suas mãos parecem diferentes, parecem adormecidas. E então, você tem que colocar lentes de contato e outras coisas. Na verdade, você não existe mais.

 

Praticaste desporto com luta antes da gravação?

Eu pratiquei bastante boxe, mas apenas isso, e apenas por causa da condição e manutenção da figura. Há um pouco de espiritualidade em praticar boxe: se você anda na rua depois do treinamento, você se sente diferente, menos vulnerável. Foi a maior razão para fazer isso.

 

Cena especial

 

Há uma cena especial para ti em algum filme?

Eu diria que a cena antes do rompimento, em frente a casa da Bella. Foi uma ótima experiência. Kristen e eu refizemos a cena na noite antes da gravação. Eu fui ao diretor e sugeri as mudanças. Ele mudou a iluminação e nós fizemos a cena de acordo com os nossos desejos e a cena está no filme agora. É realmente um ótimo sentimento criar alguma coisa e então vê-la no produto final.

 

Parece que apanhas neste filme?

Sou óptimo nisso. Eu posso actuar isso bem realisticamente, haha.

 

O que quiseste dizer?

É mais fácil apanhar do que atuar como um bruto.

 

A tua co-star Kristen disse que ela é às vezes confundida com a sua personagem.  Isso acontece contigo? As pessoas sabem que não és um vampiro ou eles chamam ‘Hey, Edward”?

Muitas pessoas não sabem meu verdadeiro nome e então me chamam de Edward. Antes da premiere do primeiro filme, algumas pessoas me tratavam como se eu fosse um personagem do filme. Sentimento estranho. Mas não tem acontecido faz tempo.

 

Há algum actor que consideras o teu modelo de actuação?
Não, não há. Mas eu sempre gostei de Joaquin Phoenix e Ryan Gossling.

 

Tradução: Foforks

Adaptação: RobertPattinsonPortugal

publicado por IsabellaCullen às 21:42