Tradução da entrevista para a DETAILS (1ª Parte)

Na qual Robert Pattinson angustia sobre a sua ótima sorte, lamenta o passar do pornô dos anos 80, sonha em ser apalpado por uma garota elefante – de novo – e nos deixa imaginando como um intensamente sério cara de 23 anos que é incapaz de encontrar seu caminho pela sua cidade natal pode possivelmente navegar pelo labirinto do estrelato.

Entrevista por Jenny Lumet

Café
É o frio de novembro de 2008 quando eu vou para o Hotel Bowery de Nova York. Há um jovem sentado no jardim, envolto em cerca de nove blusas pretas e usando um chapéu de lã, fumando cigarros, tomando um latte do tamanho da sua cabeça, e fazendo notas furiosamente em um roteiro no frio amargo. Eu tenho lido a respeito de garotas adolescentes se aquecendo com fogo na frente do hotel dele, mas no momento é Robert Pattinson quem está aquecendo as suas mãos em um copo de café.

- Olá, eu sou Jenny. Eu acho que já que estou aqui você pode me observar.
- Certo. Eu sou Rob. Ummm… gostaria de algumas fritas? Com molho?



Allen Coulter, o diretor de Hollywoodland e uma força criativa nos bastidores de The Sopranos, me enviou. Ele estava pensando em fazer esse filme – não era bem aqui antes, mas eu deveria vir “me encontrar com o Rob”.

Rob. Quando ele veio para os Estados Unidos, ele dormiu no sofá de sua agente e depois conseguiu um papel pequeno em um filme chamado Harry Potter e Alguma coisa de Alguma coisa, que arrecadou cerca de US$900 milhões pelo mundo. E então, ele fez outro, chamado Crepúsculo, que arrecadou US$ 385 milhões nos cinemas e quase outros US% 200 milhões nas vendas do DVD nos EUA. Riquezas de bilheterias como muitas da população feminina nesse planeta, o seguem de continente a continente, amamentando uma paixão furiosa.

Coulter sugeriu que eu fizesse um trabalho de reescrita de Remember Me (para constar, existe apenas um escritor creditado, Will Fetters), a primeira estreia americana no qual Rob irá interpretar um mortal, não- mágico, com forma de vida baseada em carbono da esfera terrestre – Salvador Dali, quem ele fez em Little Ashes, com certeza não se qualifica. Enquanto Rob rabisca as páginas do roteiro, está claro que ele está começando o seu próprio processo de revisão.

O rosto de Rob está constantemente ocupado – especialmente os seus olhos caleidoscópicos, que estão continuamente rolando e dilatando, porque ele está sempre pensando. Durante o curso daquele latte, ele contempla Jimi Hendrix, batatas fritas, garotas, arte, cerveja, o seu primo filósofo, garotas, a verdade, Deus, o seu cachorro, garotas se essas perseguidoras da semana o seguiram de Los Angeles. Eu não acho que ele possa desligar seu cérebro se o quiser.

Apesar da legião de fãs o rastreando de hotel para hotel, cercando cada um como o exército romano, ele não é nem medroso ou arrogante – ele é ávido, curioso, sempre alcançando intelectualmente. Isso pode não soar como uma grande coisa, mas pense no contexto: completos estranhos querem fuder com você, se lançar em você, ser sua, comprar você, vender você, passar seus dedos pelos seus cabelos, assistir você fazendo sexo, ouvir você fazendo xixi, comer batatas fritas com você, e te seqüestrar e te jogar no porta-malas do seu carro. E você? Você deve saber mais, mais e mais sobre desejos tropicais exóticos.

Rob e eu descobrimos que compartilhamos uma fascinação mútua com aflições que te aleijam, te desfiguram e desagradam: ele traz à tona Cancrum Oris (ulceração da boca), na qual uma bactéria come o seu rosto até que você tenha uma espécie de janela em um lado de sua cabeça e o mundo todo vê os seus dentes; eu menciono a síndrome de vômito cíclico, uma condição na qual você vomita literalmente durante toda a droga de tempo; ele se deleita com a filariose linfática, onde parasitas adentram em seus nódulos linfáticos e podem faze as suas bolas incharem para o tamanho de melancias, forçando você a transportá-las em um carrinho de mão.

Nós chegamos a falar sobre um filme blockbuster, intitulado “Candiru Infestation,” sobre um peixinho que nada pela sua uretra e entra no seu sistema urinário e pousa no seu pênis com um guarda-chuva e dispara para a sua coluna vertebral. “Brilhante! Poderia ser como Procurando Nemo!”diz Rob. “E o pequeno candiru está perdido nos testículos! Pense na trilha-sonora!”

Cerveja nº1

Quatorze meses depois, nós estamos em Londres. Lua Nova, o segundo filme da Saga Crepúsculo bateu os recordes da maior estreia à meia- noite e do dia de estreia. Remember Me, o drama do jovem-Rob-em-crise, foi finalizado. Ele tem 24 horas antes de começar suas pesquisas para Bel Ami, baseado no romance de Guy de Maupassant, no qual ele interpreta um alpinista social que pula de cama em cama.

Ele está esperando para me pegar no bar do meu hotel. Ele pediu para si mesmo uma cerveja e, lembrando-se da minha bebida de escola, uma Coca Diet para mim. Ele tem as maneiras encantadoras do bom filho de uma boa mãe.

Ele diz que quer me levar a um restaurante particular ali perto, “apenas um pouco fora do caminho.” Então fora do caminho, vem à tona que após vagarmos próximo ao Covent Garden, nós não conseguíamos encontrá-lo. Ele não parecia estar surpreso, de verdade. Ultimamente ele vem se perdendo bastante em sua cidade natal. Mas então faz alguns anos desde que ele morou aqui, e Londres é confuso como o inferno de qualquer maneira.

Considerando as alternativas, nós espreitamos um café lotado de pessoas jovens e bonitas, mas ele recuou. Alguns minutos depois, quando nós fomos até um pequeno lugar mexicano, os seus cabelos da nuca subiram um pouco. Hmmm. Eu o pergunto se a esse ponto ele é capaz de farejar as fãs loucas o espreitando embaixo das mesas.

“Sim, é claro. Mas da última vez em que eu estive aqui, a guacamole estava ruim.”

Rob não fez nenhuma concessão indumentária ao inverno mais feio da Inglaterra em 30 anos. Roupas desabotoadas, jaqueta estilo Carhartt, sem luvas. Ele usa sim um gorro, talvez o mesmo que ele usou em Nova York. Eu estou embrulhada como o bonequinho do Michelin e ainda estou congelando. Ele está alegre, despreocupado, sorridente. Me ocorre que Londres parece lhe dar uma liberdade que ele não tem em Nova York ou Los Angeles. E uma noite em Londres com ruas desertas, cheias de nece, após uma tempestade épica que paralisou Heathrow (aeroporto) e fechou os trens da Eurostar, é como uma traquinagem desenfreada, enquanto no comando.

publicado por mrsCullen às 20:21
Fonte: Robert Pattinson Brasil