Robert considera-se um rapaz romântico

 

Image and video hosting by TinyPicNOVA YORK – “Um pouco confuso, mas sim, acho que sou do tipo romântico,” diz o actor Robert Pattinson, que depois do mega sucesso global atingido pela saga de vampiros Twilight, acredita no drama romântico Remember Me, de Allen Coulter, que estréia na próxima Quinta-feira.

“Se ser romântico significa não ser cínico e manter a inocência de relacionamentos, nesse sentido eu sou do tipo romântico,” diz Pattinson, alguns minutos depois de ter entrado numa suíte no hotel Regency, de Manhattan, cercado por uma comitiva de publicistas, assistentes, guarda-costas, que deram aos seus comentários alguns toques totalmente irónicos.

Pela Park Avenue, um grande grupo de paparazzis ficam à guarda à espera para tentar tirar uma foto dele com sua “namorada,” Kristen Stewart, colega de elenco nos filmes de Twilight, e a quem, está evidente, que ele prefere não nomear. Apesar de que a animação gerada no caminho seja apenas uma mera presença, ou sentir-se bem em conversar com jornalistas estrangeiros, incluindo La Nacion, Pattinson deixa para trás toda a sua aura de vampiro misterioso e, com seu cabelo despenteado, barba por fazer e vestido com jeans desbotados e uma camiseta cinza amarrotada, e Londres parece torná-lo um garoto normal de 23 anos, esperto e à vontade. Ele tem um olho afiado, parece ver-se cumplicidade quando fala com homens, e então em um instante pode tornar-se intencionalmente enigmático, quase tímido, quando fala com uma mulher, o que claramente  causa o efeito de desejo, especialmente nas raparigas adolescentes que ficam loucas por ele, no mundo todo.

 Já sofreu na Big Apple (NY), onde filmaram Remember Me, no qual ele divide a cena com a australiana Emilie de Ravin, conhecida pelo seu trabalho na série Lost, onde ela interpreta Claire Littleton.

“Filmar em Nova York foi uma loucura total. Os paparazzis eram insuportáveis, todos a gritar ao mesmo tempo para olhar para o lado deles, para tirarem uma foto enquanto eu estava a filmar.” Acha que eu consigo actuar? “Eu gritei e fiquei com raiva muitas vezes. Mas quando se vê a situação por uma outra perspectiva, entende-se o quanto isto tudo é ridículo, e torna-se mais engraçado se ignorar-se” disse o jovem actor, que parece estar a controlar da sua carreira.

- Como encontra a sua paz com toda a atenção que a mídia cria?

“Eu passo muito tempo a pensar em como não ser visto, o que é algo dificil, mas ultimamente vale a pena porque se ninguém sabe onde está, eles não esperam do lado de fora do restaurante, e pode aproveitar a vida. Eu não estou a dizer que é mau as pessoas virem e pedirem-me fotos ou autógrafos. O que incomoda é pessoas que querem ganhar em cima da minha imagem ou da minha pessoa. Mas normalmente eu escapo desse monitoramento inflexível, e fica tudo bem.”

Eu suponho que seja ainda mais difícil quando a sua namorada é muito famosa, como Kristen Stewart…

“Hahaha. É difícil de qualquer jeito. Tem que aceitar isso como parte da sua vida, é algo que vem com a carreira que você escolhe.”

 

Um britânico articulado, com boas maneiras e alegre durante a entrevista, sugere que Pattinson seja uma pessoa educada, pronto para mostrar, pelo menos hoje, que é diferente da imagem que a mídia e o público esculpiram de si nesses últimos anos. Então isso foi muito o que atraiu para Remember Me, para o papel do Tyler, um estudante rebelde em Nova York que fatalmente revela no verão de 2001 que a tragédia do amor e felicidade podem ser parte da mesma moeda.

“É mais um filme sobre vida do que uma história de amor. Tem a ver com relacionamentos estabelecidos como um humano, com aqueles que são próximos a ti e a quem se ama. Fala sobre como lidar com a perda e o luto, como isso nos afecta. Para muitas pessoas, a perda é assumida como parte da identidade deles, e algumas vezes é necessário superar essa perda e também deixar para trás parte dessa identidade construída; são emoções muito conflituosas e ricas de se explorar, então eu fiquei interessado em Tyler,” ele diz sobre o seu personagem, cujo irmão mais velho comete suicídio, encarando uma situação difícil com seus pais divorciados (interpretados por Pierce Brosnan e Lena Olin) e uma irmã mais nova (Ruby Jerins).

- Acha que esse personagem é o mais parecido com você que você já fez até então?

“Mmm… Eu não sei. Eu acho que a pessoa sempre tenta encontrar coisas para se identificar com o personagem. Neste caso, há coisas que eu vejo em Tyler que eu gostaria de ter. Isso seria, melhor dizendo, uma fantasia minha. No filme, Tyler está a lutar sempre e eu queria ter entrado em algumas lutas tantas vezes, mas eu não sou de jeito nenhum como ele nesse sentido. Eu bati algumas vezes em bares. Eu vi que isso aconteceria, mas foi há muito tempo. Assim como essa rebeldia, eu sempre fiquei preocupado porque eu passei por uma fase de adolescente rebelde.

- Precisa se revelar contra as expectativas que aumentaram agora?

“Um pouco, mas quando os holofotes estão em ti, a melhor coisa que se pode fazer é poder manter-se como um mistério, não tentar catalogar-se ou seguir a correntesa do que quer que a imprensa diga. Senão, vai-se ficar sem a gerar histórias na mídia e a sua pessoa pública não ajuda na sua carreira. As pessoas levam muito à sério tudo o que diz, e começam a criar um personagem do qual se fica inconsciente do que é de verdade. Também, se ficar sempre a aparecer, eu acho que isso acaba cansativo para o público e quando eles vão ver os seus filmes, eles vêem através da sua pessoa pública, e não através do personagem que está a interpretar.

Eu entendo. Então tentou enganar um pouco dizendo coisas como, que você é alérgico a vaginas, o quase não gera manchetes…

“Hahaha. Exatamente.”

- Teve algum momento em particular no qual percebeu em qual nível de fama se encontra?

“Para mim, ser um dos apresentadores do Oscars no ano passado foi algo muito importante. Quando eu fui convidado eu pensei que era uma piada. Depois, naquela noite, sentado atrás de Mickey Rourke, eu não consegui entender o que eu estava a fazer lá. Foi um pouco doido, muito doido."

Fonte: Foforks

Adaptação: RPPT

publicado por Bia PATTINSON às 00:00