Entrevista Exclusiva à Fandango

Leiam, está muito interessante :)

 

Entrevista Exclusiva: Robert Pattinson

 

"Surreal" é a palavra que descreve perfeitamente a vida de Robert Pattinson neste momento.

Não é só o ajustar-se à sua nova, hiper-famosa vida prometedora depois de Twilight,  ter as fãs do seu herói imortal Edward Cullen (e ficarmos completamente viciados nele como a familia Cullen é viciada em hemoglobina), Rob está também a interpretar os famoso pinto surrealista Espanhol Salcador Dali no seu último filme. Little Ashes descreve os anos de formatura de Dali na universidade, onde ele se vê envolvido num relação complexa, obsessiva e sexualmente carregada com o futuro poeta Federico Garcia Lorca.

Pattinson pinta à Fandango um retrato de como ele chegou à surrealidade de Dali, como aguenta a fama, como fica na sombra durante encontros de fãs a delirar e ainda nos oferece um pouco do que se passa em New Moon.

Fandango: Existia o exibicionista, intencionalmente bizarro Dali em publico e depois existe a sua arte, que deve ser levada muito a sério. Já pensaste que isso se aplica um pouco ao teu trabalho?
Pattinson: Sim. Ele tinha um controlo fanático acerca de como era entendido. Mas agora está tudo fora de controlo - fora do teu controlo. A tua imagem pública parece estar nas mãos de pessoas estranhas. Vês histórias sobre ti a aparecerem todos os dias e pensas: "Jesus, Como é que sabem...?"
 

Fandango: É mais dificil representar uma pessoa real, em oposição a representar uma personagem fícticia como Edward Cullen que tinha a sua história descrita preto no branco?
Pattinson: Acho que de muitas formas é igual. Estás a representar ficção na mesma mesmo que seja uma personagem real. É o mesmo tipo de aproximação. A única coisa que consegues tirar do livro são as linhas gerais, as mudanças de humor, as mudanças emocionais e o seu desenvolvimento. Não estou a representar exactamente como está no livro.

Fandango: Dali era um surrealista famoso e sem dúvida que já tiveste a tua parte de experiência surreais nos últimos meses - como fãs a gritarem sobre cartazes teus em lojas de vídeos.
Pattinson: Eu sei! Estava num clube de vídeo no dia que estava a ser lançado o DVD. Esqueci-me que era naquele dia que ia ser lançado. Estavam lá 2 familias que tinham vindo com as suas filhas de 8 ou 9 anos para comprarem o DVD. Estavam na fila a chorar e eu fiquei o porquê de tanta comoção. Eles não sabiam que eu ali estava. E eu pensava "Wow, estão a chorar por causa de um DVD". É fascinante.

Fandango: E não lhes disseste que estavas ali?

Pattinson: Nem pensar!!! (risos)

Fandango: Tu e os teus colegas tentam competir com quem tem mais encontros de fãs?
Pattinson: São todos muito iguais. O engraçado é que eu tento sempre manter-me invisivel e noto que as pessoas ficam desapontadas quando me reconhecem. Ficam tipo: "Oh! Pensei que fosses um zé-ninguém mas depois percebi quem tu eras."

Fandango: Comecaste agora a filmar o New Moon. Como estão a correr as coisas?
Pattinson: O interessante deste filme é que eu apareço basicamente na cabeça da Bella. É baseado numa mistura de memórias e pesadelos. A Bella acha que está a ficar doida. E faço algumas cenas assustadoras. Por outras palavras, a Bella fica muito assustadas com as suas alucinações. É muito, muito diferente de Twilight. Acho que muita gente vai ficar assustada com este filme. Eu tentei fazê-lo no Twilight, mas não consegui fazer com que o Edward se tornasse assustador.

Fandango: Como está a ser trabalhar com o novo realizador, Chris Weitz?
Pattinson: Ele é uma excelente pessoa. Muito, muito talentoso e articulado. Acho que deve ser um pouco stressante para ele fazer isto. Há muita expectativa. Ele parece muito calmo sobre tudo isto.

Fandango: Como foi ir aos Academy Awards pela primeira vez?
Pattinson: Cheguei lá e sentaram-me na segunda fila. Foi inacreditável. Eu penso que a qualquer momento alguma coisa vai correr mal. "Morte" é a única coisa que eu penso o tempo todo. Eu já tive toda a sorte do mundo, por isso acho que vou morrer aos 23 anos ou assim. [Nota IsabellaCullen: CREDO Rob, claro que nao!]

Fandango: Descobriste alguma estrela muito famosa que seja fã de Twilight ou os seus filhos sejam?
Pattinson: Robin Wright Penn veio ter comigo. Acho que foi espactular uma vez que o marido dela (Sean Penn) tinha acabado de ganhar o Oscar para Melhor Actor. Foi muito, muito surreal.

Fandango: Contribuiste com alguma canções para o Twilight. Ainda estás a perseguir a música e vais fazer mais para o New Moon?
Pattinson: Estou em conversações para fazer a banda sonora de outro filme, para compor. Não posso dizer o que é ainda, mas quero muito, muito fazê-lo. Acho que no New Moon não vou ter nada, mas não posso dizer nunca.

Fandango: A seguir vais fazer Memoirs, o qual foi descrito como a história de 2 apaixonados que tentam ultrapassar tragédias familiares.

Pattinson: Sim, espero fazê-lo. Ainda não está certo. É um óptimo script e é diferente do que já fiz até hoje. Estive em Nova Iorque a trabalhar com a Jenny (Lummet, screenwriter de Rachel Getting Married). Parece que vai ser muito, muito bom.

Fandango: Finalmente, para muitas pessoas, Dali fica conhecido como o artista com o bigode maluco e hoje és o actor com o cabelo maluco. Consegues ver o paralelismo com a marca de pêlos?

Pattinson: (risos) Nunca tinha pensado nisso, mas é engraçado porque as pessoas continuam a meter-se com o meu cabelo, mesmo tendo eu cortado-o para fazê-lo diferente. É engraçado. Meu Deus, espero não ficar conhecido por causa disso para o resto da minha vida.
 

 

Fonte: Fandango

Tradução: Robert Pattinson Portugal

publicado por IsabellaCullen às 12:04