Entrevista do Robert - Revista PREMIERE Setembro 2009

Premiere: Rob, antes de começarmos, eu queria saber o nome do seu cabeleireiro e a marca de gel que você usa…

Rob: Quer saber a verdade? A única vez que corto meu cabelo é no set.

P: Ah! E eu já ia esquecendo. Todas as garotas que eu conheço querem te manda rum oi.

R: (Risos) Oi!

P: A última vez que nos vimos foi durante a divulgação americana de Crepúsculo, Novembro passado, você não parecia saber o que estava acontecendo.

R: Eu acho que ninguém consegue entender o que está acontecendo. Coisas assim são tão raras. É uma mistura de chance e coincidência. Você acorda um dia e de repente é uma estrela. Muito estranho. De repente todos sabem quem você é enquanto você não mudou nada. Eu realmente entendi o que estava acontecendo em Cannes. Eu estava em um restaurante durante um intervalo e quando eu sai duas horas mais tarde, 500 pessoas estavam esperando por mim na saída. Foi um caos. Eles literalmente tiveram que me carregar até o carro. É ridículo quando você pensa nisso. (Risos).

P: Você deve ter tido vontade de perguntar àquelas 500 pessoas o que elas estavam fazendo ali…

R: Claro. Tenho certeza que se eu dissesse à alguma daquelas garotas: “Vem, vamos tomar café”, ela teria ficado com vergonha e nunca gritaria meu nome de novo no meio de uma multidão.

P: Aí está, você tem que chamar cada uma das suas fãs para tomar café para achar uma vida normal de novo.

R: Uma por uma. Ótima ideia!



P: Deve ser difícil ficar calmo quando te empurram tão rapidamente para o centro das atenções.

R: Não sei… É, claro. Ao mesmo tempo eu não sinto que mudei. A coisa mais vergonhosa é quando seus amigos te chamam para ir em algum lugar e você tem que dizer “Desculpe, não posso ir nesse lugar” porque você sabe que os fotógrafos estarão te esperando lá. Eu me sinto mal quando coisas assim acontecem, como se o mundo tem que girar em minha volta. Eu tenho que olhar por cima do meu ombro toda hora, ser super vigilante porque a qualquer momento alguém pode estar me filmando ou gravando o que eu falo. Me faz sentir como se eu não parasse de trabalhar: pelo menos no set o nível de segurança me dá um pouco de privacidade. É um alívio.

 

P: Sets de filmes é o único lugar que você pode ter uma vida particular?

R: É louco, não é? Eu ainda não achei um lugar no mundo onde eu possa desaparecer. Até nos lugares mais remotos eu posso imaginar alguém me pedindo uma foto ou um autógrafo. Honestamente, eu não achei que seria reconhecido tão facilmente. (Risos)

 

P: Ao mesmo tempo você deve ter que tomar cuidado como você age, o que não deve ser fácil especialmente quando se tem 23 anos. Eu me lembro quando eu tinha essa idade. Era melhor que uma câmera não estivesse apontada para mim 24 horas, 7 dias da semana.

R: Exatamente. O que mais me preocupa é que eu não sei quando a minha paciência irá acabar, quando eu finalmente vou fazer alguma coisa estúpida. Espere e veja.

 

P: Você às vezes se diz: “Eu não assinei contrato para tudo isso.”?

R: O tempo todo. Alguns meses atrás eu cheguei bem perto de perder o controle, eu estava ficando muito paranóico. E aí eu comecei um trabalho novo, as coisas se arrumaram. Eu não posso dar as costas á situação e ignorá-la. Se amanhã eu disser: “Ok, eu já tive o suficiente, estamos parando tudo” não mudará nada. É melhor tentar aceitar e ficar calmo já que não tenho controle sobre isso. Eu me assusto fácil por isso nem sempre é tranqüilo. Mas ficar reclamando não vai mudar nada.

 

P: O irônico é que daqui a dois anos quando você terminar de filmar Crepúsculo, você terá que lutar para fazer as pessoas esquecerem o mesmo personagem que te fez uma estrela e poderá ficar preso á você.

R: Isso me assusta um pouco. Quando eu vou à reuniões para outros projetos as pessoas que eu conheço parecem interessadas apenas nas similaridades entre Edward Cullen e eu. É algo assim: “Se o papel te interessar e você conseguir trazer para nós o público de Crepúsculo então você o ganha”. Eles me deixariam até interpretar uma mulher eu acho.

 

P: Tem fãs homens de Crepúsculo?

R: Alguns… cada vez mais rapazes me pedem por autógrafos na verdade. A não ser que eles façam isso para vendê-los no eBay. (Risos)

 

P: Três dias depois do encerramento das filmagens de Lua Nova você começou a filmar Remember Me, uma comédia romântica escrita por Allen Coulter, seguido alguns dias depois por Eclipse. Se adicionarmos o ocidental, por Madeleine Stowe, no qual você estará trabalhando depois, você só terá 5 dias de folga em um ano…

R: E se tudo for como o planejado, em janeiro eu começarei a filmar Bel Ami em Paris, por 3 meses, e depois disso eu começarei a filmar o quarto e último da saga Crepúsculo, Amanhecer.

P: Dessa maneira você está ocupado por 2 anos.

R: Quase isso. Com uma semana no fim do verão para ver meu amigo, com quem no final eu esquecerei até que existe. (Risos). É uma loucura.

P: Sinto que é a sua maneira de escapar da loucura em volta de você no momento.

R: E você não está errado.


 

 

Fonte/Tradução: Portal Twilight

Pedimos desculpa por estar em brasileiro! ^^'

publicado por mrsCullen às 16:39