Entrevista do Robert para a 'Greek'

O ícone dessa Era: Robert Pattinson!

O que é que faz milhões de garotas gritarem a cada aparição de Robert Pattinson de 23 anos? É uma pergunta razoável do sexo masculino, não é? Em Harry Potter, ele passou quase despercebido. O seu potencial para se tornar um ídolo começou a aparecer em seu papel principal em “Crepúsculo”. O segundo filme da série, “Lua Nova”, acabou de sair fazendo a maior estreia de todos os tempos com US$72.7 milhões no primeiro final de semana em todo o mundo, e 300.000 ingressos de estreia apenas no fim-de-semana da Grécia. A fascinação associada a Pattinson agora é muito maior do que aquela associada a DiCaprio após “Titanic”. Então, surge a questão inevitável: que tipos de icons são os que se necessita nesss tempos? Esse é um cara que é muito menos rebelde do que as estrelas das décadas anteriores. Ele é bem mais suave, mais romântico e dedicado àquilo pelo qual ele se apaixona , além de ser obedientemente leal a ela. Ele parece ser algo assim também na vida real. Ele não tira vantagem do seu status de celebridade, coletando corações femininos. Não até agora, pelo menos. De acordo com revistas, ele é a nova versão mais sofisticada de um popstar, andando por aí com um livro em sua mão e escolhendo tocar piano ao invés de futebol. As garotas juram que ele tem um charme ‘underground’, um mistério que vem de um recato inerente e o aparecimento de um sedutor despenteado indiferente. A questão não é por quanto tempo esse garoto vai permanecer no topo da "lista quente", mas que cada época tem os ícones que tem de encontrar o seu equilíbrio.

 

Pergunta: O quão desconfortável é ser chamado de o novo Leonardo DiCaprio?

Robert: Eu acho que não é justo, especialmente para ele. Ele foi nominado a um Oscar quando ele tinha 11 anos ou algo assim. Eu não me considero o successor dele.

 

P: O seu rosto está agora em todos os quartos das adolescentes. Como você se sente como um ídolo adolescente?

R: É interessante. Eu nunca pensei que eu fosse causar tantas reações às pessoas. Eu jamais pensei que pele pálida pudesse ser considerada tão sexy. Mas é engraçado. Quando eu estava na escola, ninguém esperava algo assim de mim. Entretanto, alguns anos mais tarde, tudo mudou.

 


P: Contudo, você ainda pode andar na rua como uma pessoa normal? Você poderia se tornar a vítima de jovens garotas.

R: Na verdade, não. As coisas mudam bem rápido nas grandes cidades. Quandovocê está em um restaurante, faz sentido para as pessoas se amontoarem lá fora. Por outro lado, depende do quanto você está interessado em algo assim.

P: Você tem uma paixão verdadeira por música. Você também escreveu uma canção para a trilha sonora do primeiro filme. Você deixou o seu empenho musical atrás de você ou ainda há espaço para a música no seu coração?

R: Eu comecei tocando um pouco mais agora. Durante as filmagens do terceiro filme eu escrevi algumas músicas. Eu não sei se eu farei algo com elas.

P: Você tem uma banda, se eu não estou enganada?

R: Não mais. Eu costumava ter uma banda quando eu tinha quinze anos. Mas a música continua a ser muito importante para mim. Eu só não quero lançar um álbum agora, porque seria como o novo álbum de Edward Cullen.

P: Então, atuar é mais importante para você?

R: É tão importante quanto a música, mas é perigoso me permitir ambos ao mesmo tempo. Eu acho que é melhor focar em um ou em outro.

P: É irritante ser confundido com o seu personagem, Edward Cullen?

R: Você deve apenas esperar e ver como as pessoas irão te notar. Se as pessoas ainda me verem como Edward Cullen em 25 anos, eu acho que eu devo ter que matar alguém.

P: Qual é o encontro ideal para você?

R: Eu não faço a menor ideia. Eu não sou nem um pouco bom em encontros.

P: Você não vai a encontros na Inglaterra como na América?

R: Nós não “vamos a encontros” na Inglaterra. Se você sair com uma garota uma vez, então ela é a sua namorada. Caso contrário, você é um mulherengo.

P: Então você é monogâmico?

R: Sim, uma menina de cada vez!!!

P: Muitos críticos têm dito que os livros de Stephenie Meyer são nada mais do que uma metáfora para a repressão sexual. Você concorda com essa interpretação?

R: Há um significado para a história, mesmo sem tentar encontrar as metáforas escondidas. Eu nem sabia que S. Meyer era uma mórmon e não me afetou em nada quando eu descobri isso.

P: Quais são seus filmes de vampiros preferidos?

R: Eu sempre gostei de "Blade".

P: E quanto a Jack Nicholson no filme Lobo?

R: Jack Nicholson no geral. Ele é o motivo de eu querer ser ator.

P: Como é estar junto a outras estrelas estabelecidas?

R: A verdade é que as estrelas não me impressionam particularmente. Mas eu as encontro quando vou a talks shows. É quando eu fico nervoso porque eu tento ser engraçado e inteligente ao mesmo tempo. Eu tento encontrar a piada certa para o momento certo e, droga, esse nem é o meu trabalho.

P: Você alguma vez já sonhou com vampiros?

R: Não. E para ser honesto, eu raramente sonho. É chato.

P: Junto a Kristen Stewart você compartilha a sorte de ter se tornado famoso com apenas um filme. O quanto você tem se vinculado a ela por causa disso?

R: É maravilhoso saber que você está trabalhando com pessoas que também estão no começo da sua carreira, cobrindo a mesma distância.. Nós todos estamos em um ponto bastante crucial em nossas vidas. Eu acho que nós nunca nos esqueceremos dos dias de Crepúsculo.

P: Você está animado com toda a nova fama que ganhou?

R: Algumas vezes você dá entrevistas e você está tão cansado de responder as mesmas perguntas sempre e dizendo coisas diferentes. Eu dei duas entrevistas recentemente para duas revistas e quando eu as li uma após a outra, eles me fizeram parecer como alguém que quer se matar. Eu não sei. Eu irei provavelmente levar bastante tempo para perceber o que tem acontecido comigo.


 

Fonte: Robert Pattinson Portugal

publicado por mrsCullen às 20:27